segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Facebook na Cabeça


Uma pesquisa recente, feita por japoneses, britânicos e holandeses, apresentou uma conclusão interessante: que o tamanho de determinadas areas do cérebro responsáveis por nossa interação social, está diretamente ligado ao número de amigos cadastrados no Facebook. A primeira vista pode parecer até óbvio, afinal quanto mais interagimos socialmente, maiores as chances de encontrarmos amigos na rede social. A novidade é o fato de que se aumentarmos a quantidade de amigos virtuais, essas mesmas areas se expandem para acomodar as novas informações. Interessante, não? Nosso comportamento junto ao computador pode estimular e reorganizar nossas mentes. Agora, antes que você vá correndo ao seu micro e comece a aceitar todo e qualquer pedido de amizade só para se sentir um crânio, cuidado!
Outro projeto científico bem peculiar, criou um bot, um aplicativo automatizado que atua na rede procurando simular um comportamento humano. Esse bot se fez passar por um usuario do Facebook enviando pedidos de amizade. Em oito semanas ele conseguiu um feito impressionante: nada menos que 3.000 pessoas aceitaram o pedido de amizade. É importante ressaltar que, após a amizade aceita, os dados particulares dessas pessoas podem ser acessados pelo aplicativo. Se você tem poucos amigos, não se preocupe, qualidade ainda vale. Muita gente pode estar conversando com software e nem sabe disso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário