terça-feira, 22 de maio de 2012

Internetês


Uma nova tecnologia havia chegado e mudou nossa maneira de escrever. Para aproveitar melhor os recursos desta máquina inovadora, e também economizar tempo, convencionou-se digitar algumas palavras de forma abreviada. Facilita a digitação e não consome muito dos canais de comunicação. Dois inconvenientes: primeiro a correta gramática que vai pro espaço toda vez que se altera a grafia de alguma palavra. Em segundo lugar, as duas pessoas que estão interagindo precisam conhecer essa nova maneira de escrever. Se não for assim, não haverá comunicação, já que alguém não entenderá nada do que será transmitido. Não, eu não estou falando do internetês, esse dialeto bizarro utilizado em conversas de mensagens instantâneas e redes sociais.
Eu estou falando do telégrafo, do telex, do telegrama. Não sabe o que é isso? Era uma internet primitiva, mas que funcionava. Através de alguns fios, mensagens eram transmitidas a longa distância e mais rápido que qualquer cavalo ou calhambeque. Curiosamente, ninguém nunca reclamou das palavras abreviadas usadas em telegrama para economizar o custo de transmissão. Não houve debates acalorados se o uso das palavras incorretamente escritas acabaria com o bom linguajar. E todo mundo acabava entendendo o que significava o famoso PT SAUDACOES e que por sinal, não tem nada a ver com partidos políticos. Todo mundo sobreviveu a isso, não é bem verdade?

Nenhum comentário:

Postar um comentário